Rinoplastia Preservadora

Nos últimos anos, a Rinoplastia, cirurgia estética do nariz, teve um enorme avanço, principalmente no que diz respeito à avaliação e compreensão anatômica do nariz, tipos de técnica e abordagem cirúrgica. Atualmente, surge o conceito mais moderno, revolucionário e, na minha opinião, o melhor até o momento para a maioria dos casos que é a Rinoplastia Preservadora. Técnica desenvolvida pelos melhores e mais respeitados cirurgiões do mundo, como o Dr. Yves Saban, Dr. Baris Cakir e o Dr. Rollin K. Daniel.

As primeiras abordagens cirúrgicas com finalidade estética no nariz consistiam no que chamamos de Rinoplastia Redutora. Nessa técnica, era realizada apenas a remoção das estruturas que dão forma ao nariz, a fim de deixá-lo mais delicado e belo. Porém, notou-se que essa aproximação, nada conservadora, resultava, a médio e longo prazo, em narizes com muitas anormalidades estéticas e funcionais estigmatizantes. 

Então, nas últimas décadas, no intuito de evitar tais possíveis sequelas decorrente de uma Rinoplastia apenas de ressecção, foi desenvolvido o conceito de Rinoplastia Estruturada, com abordagem aberta (incisão na columela), preferida pela maioria dos cirurgiões. O propósito principal era a reconstrução do nariz, principalmente das áreas removidas (e, por isso, funcionalmente e esteticamente instáveis) com enxertos variados provenientes do septo nasal, orelha e, muitas vezes, costela. Assim, obtém-se resultados mais satisfatórios também a longo prazo.

Porém, essa abordagem não tem uma visão conservadora, já que é preciso, em muitos casos, destruir uma região funcionalmente estável para depois reconstruir de forma esteticamente mais agradável, principalmente nas Rinoplastias primárias. Por isso, são mais suscetíveis a alterações decorrentes da cicatrização, já que quanto mais uma região e tecidos do nariz são traumatizados, maior será o inchaço local e possíveis retrações do tecido mole (pele, subcutâneo…) à longo prazo.

E o que seria Rinoplastia Preservadora? Se levarmos em consideração o seu sentido mais completo, ela consiste em 3 pilares principais: 

  1. Elevação Intacta do Tecido Cutâneo, tecido mole que forra a estrutura do nariz: pele, tecido subcutâneo, gordura, pericôndrio – membrana que recobre a cartilagem–, periósteo – membrana que recobre o osso. E se levarmos em consideração esse pilar central, a Rinoplastia Fechada é o melhor acesso, já que não lesa a columela, sua irrigação, inervação e drenagem da ponta nasal.
  2. Preservação das Cartilagens Alares (cartilagens que formam a ponta do nariz), deixando a maioria dessas cartilagens, e Preservação dos Ligamentos do nariz.
  3. Preservação do Dorso Osteocartilaginoso, o que elimina a chance do surgimento de irregularidades decorrentes da destruição do dorso e preserva a funcionalidade da válvula nasal interna na respiração, podendo até melhorá-la.

 

Portanto, tem como principais VANTAGENS: 

  • Menor inchaço e dormência no pós-operatório e, portanto, mais rápida a recuperação e resultado final.
  • Nariz mais natural com linhas mais suaves.
  • Preservação do dorso, não havendo necessidade de reconstrução.
  • Preservação bem maior do septo.
  • Chances bem menores de retrações da pele a longo prazo, devido à preservação do tecido mole, ficando a cargo apenas por conta dos efeitos do envelhecimento e não do dano cirúrgico.
  • Menor probabilidade de retoque cirúrgico. E, quando necessário, são revisões bem mais simples e com raríssima necessidade da utilização de cartilagem de costela.

 

Contudo, apesar de ser uma técnica excepcional para a maioria dos pacientes, há alguns casos (principalmente em rinoplastias secundárias, terciárias…) em que uma estruturação do nariz se faz necessária por meio de uma abordagem aberta e estruturada. Entretanto, sempre que possível, seguindo a filosofia da Rinoplastia Preservadora de uma dissecção mais cuidadosa para menor lesão tecidual e preservação das estruturas anatomicamente boas.

A Rinoplastia Preservadora já é uma realidade que está sendo amplamente apresentada, discutida e solidificada nos principais congressos mundiais sobre Rinoplastia, e com certeza é um grande avanço e marco revolucionário para a qualidade respiratória e satisfação estética dos nossos pacientes a curto, médio e longo prazo.